Um conto corriqueiro

Conta-se a história de um pastor suíço a beira de um colapso que foi convidado a ver o psiquiatra Carl Jung. Quando perguntado quantas horas por dia ele estava trabalhando, o pastor disse a Jung: “cerca de dezoito horas por dia.” Jung aconselhou-o a reduzir para oito horas por dia e passar o restante do tempo liberado para um relaxamento tranquilo por conta própria. 
O pastor fez isso: no primeiro dia, sentou-se numa confortável poltrona para ouvir Mozart e ler um romance. No segundo dia, Mozart deu lugar a Beethoven. . . e assim por diante. Depois de duas semanas ou mais o pastor sentiu-se pior e voltou para Jung, que lhe perguntou como especificamente, ele estava gastando seu tempo. Quando o pastor descreveu suas horas de lazer, Jung disse: “Não foi isso que eu quis dizer; eu quis dizer que você deveria passar algum tempo em silêncio consigo mesmo. O homem respondeu: “Tempo comigo? Mas eu não posso pensar em nada mais terrível.” Jung disse: “Bem, está na hora de conhecer-se melhor, pois essa é a pessoa que você tem infligido ao seu povo dezoito horas por dia.”




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dificuldades encontradas pelo professor em sua prática docente

Fundamentos da Psicologia Analítica: Primeira Conferência