Processo de Aconselhamento



Aconselhar compreende a capacidade de reunir informações sobre o cliente, sobre as condições do ambiente e modos de interpretar a si mesmo e aos outros: valores, necessidades, conhecimentos, emoções, interesses, contatos interpessoais, herança cultural, fatores sociais e econômicos.

No processo diagnóstico há função de descrever padrões significativos de comportamento ou de experiência afetiva e fornecer explicações causais para esses padrões. As mudanças explícitas no comportamento decorrem de o cliente desenvolver novas percepções de si mesmo, sobre pessoas significativas e sobre a vida. Há compreensão daquilo que o debilita. Usa-se o pensamento racional em momentos de confusão e de conflito.

Pensar meio para alcançar objetivos almejados correlaciona-se com o quanto de si mesmo a pessoa compartilha. Quanto maior a revelação de si mesmo, mais o orientador pode aconselhar eficazmente e ajudar o cliente a descobri modos mais eficazes. O conselheiro e o cliente tem valores diferentes e a ação é consequente a ponderação de tais diferenças.

O conselheiro atua como facilitador do crescimento pessoal, auxiliando as pessoas a clarificar seus próprios objetivos e a construir planos de ação de acordo com a própria capacidade, valor e objetivos.

- identifica-se o problema;
- identificam-se as alternativas disponíveis; e,
- identifica-se o resultado provável.


O aconselhamento leva o cliente a mudar, a aumentar a capacidade individual para lidar com situações de vida. Antigos comportamentos tem gratificações próprias junto as angústias que provocam. A mudança reduz a angústias e as gratificações. Implica em assumir riscos de revelar informações, tomar contato com emoções e constructos pessoais relacionados a suas preocupações. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dificuldades encontradas pelo professor em sua prática docente

Fundamentos da Psicologia Analítica: Primeira Conferência