Função Executiva



Conjunto de habilidades que integradas gerem, no indivíduo, o direcionamento de comportamento a metas, avaliar a eficiência e adequação de comportamentos, abandono de estratégias ineficazes e favor de outras mais eficientes para problemas imediatos, de curto prazo e de longo prazo.

Componentes: memória operacional (sistema temporário de armazenamento; base dos processos cognitivos), planejamento (capacidade de, a partir de um objetivo, estabelecer maneiras de executá-lo por hierarquia de passos e instrumentos), solução de problemas, tomada de decisões (escolha do foco após analisar alternativas), controle inibitório (capacidade de inibir respostas prepotentes ou distratores), fluência, flexibilidade cognitiva (alternar o curso de ações e pensamentos), categorização (processo de agrupamento por determinadas propriedades | relacionado com raciocínio dedutivo, indutivo e abstração, formação de conceitos) e fluência (capacidade de emitir comportamentos sequenciais obedecendo regras).

*      Modelo de Barkley (2001)
Interação dinâmica dos componentes.
O controle inibitório sobre respostas contribui para a atuação de habilidades executivas da memória operacional, fala internalizada (autoinstrução), auto regulação (ativação e controle) e reconstituição (análise e síntese comportamental). Estes processos permitem a fluência e eficácia motora com a inibição de comportamentos irrelevantes. 

*      Modelo de Lesak (2005) 
Interação de processos sucessivos interdependente: volição (comportamento intencional), planejamento (identificação de etapas e elementos), ação proposital (transição da intenção para plano e para ação) e desempenho efetivo (auto regulação e monitoramento de resultado).
A inflexibilidade cognitiva resulta em comportamento perseverativo e estereotipado.


Síndrome Disexecutiva (déficits na função executiva)
Dificuldade no processo de tomada de decisão, traçar metas irreais, não prever consequências, solução de problemas por tentativa e erro, ausência de controle de impulso.
Alterações de humor: apatia. Sintomas depressivos, euforia, afeto descontextualizado.
A apresentação clínica depende dos circuitos pré-frontais comprometidos.

- circuito pré-frontal dorsolateral
 Processos cognitivos de estabelecimento de metas, planejamento, solução de problemas, fluência, categorização, memória operacional, monitoração de aprendizagem, atenção, flexibilidade cognitiva, capacidade de abstração, auto regulação, julgamento, tomada de decisão.
Comprometimento: falha na recuperação espontânea de material consolidado.

- circuito lateral orbitofrontal
Interconectado com áreas de processamento cognitivo e emocional. Comportamento social, empatia, cumprimento de regras, controle inibitório, auto monitoração.
Comprometimento: comportamentos de risco, sensibilidade a normas sociais, infantilização, dependência de reforço evidente e baixa tolerância a frustração. Prejuízo no julgamento social e no aprendizado baseado em emoções.

Miopia de Futuro (Damásio, 1996) = dificuldade nos processos de tomada de decisão pela não antecipação de futuras consequências das atitudes. Dificuldade na hipótese de marcador somático (sensações corporais que sinalizam no processo de tomada de decisão). 

- circuito do cíngulo anterior
Relacionado com motivação, controle executivo de atenção, seleção e controle de respostas.
Comprometimentos:  dificuldade na realização de atividades que requerem manutenção de respostas e controle da atenção, apatia, dificuldade de identificar e corrigir erros, desinibição, respostas instintivas, mutismo acinético.

Neuroquímica dos circuitos executivos

- Sistema dopaminérgico (modulação de movimento e de cognição)
Patologias: esquizofrenias, TDAH, fenilcetonúria. Dificuldades relacionadas a memória operacional, atenção, controle inibitório, planejamento, flexibilidade cognitiva e tomada de decisão. 

- Sistema serotononinérgico (modulação de funções fisiológicas, do humor e controle de impulsos).
Patologias: aumento da agressividade e impulsividade

- Sistema noradrenérgico (atenção, memória, aprendizagem e motivação)



Fonte: Malloy-Diniz, Leandro F.; Sedo, Manuel; Fuentes, Daniel; Leite, Wellington Borges. Neuropsicologia.    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dificuldades encontradas pelo professor em sua prática docente

Fundamentos da Psicologia Analítica: Primeira Conferência