Redes Neurocognitivas


Estudos acerca da importância das redes neurocognitivas representam a superação do modelo localizacionista e a aproximação com o modelo holístico, no qual as todas as aras corticais são recrutáveis na assunção das funções cognitivas.
As áreas cerebrais participantes cooperam para a execução de múltiplas funções e há, conjuntamente, o processamento paralelo. Neste processamento, os circuitos podem inibir ou facilitar a atividade do córtex de origem.
Os macrosistemas anatomofuncionais cerebrais podem ser assim dinamizados: amígdala (receitada no processamento das informações sobre o risco potencial, produção de respostas de medo e fuga), córtex orbitofrontal (sensível a estímulos positivos, de gratificação e de escolha de comportamento) e inervações catecolaminergica e colinergicas (projeções moduladoras que selecionam ou ignoram estímulos salientes, flexibilizando o comportamento em favor do objetivo).
A cognição é um fenômeno derivado do funcionamento dos circuitos cerebrais, resultante de transações neuronais complexas.

- Modelo de Luria

Diferentes regiões corticais atuam integrando e coordenando diferentes funções atribuídas ao córtex cerebral. Para Luria, tal sistema é, didaticamente, organizado por unidades funcionais: unidade executora (programa, coordena e verifica ações dos indivíduos| motricidade) e unidade receptora (recebe, analisa e armazena informação| visão, audição e somastesia).

- Modelo de Mesulam

Os sistemas funcionais são redes integradas em ao menos cinco escalas extensivas atuantes em paralelo: atenção espacial, linguagem, memória e emoção, identificação de faces e objetos.
O córtex pode ser funcionalmente dividido em categorias: de projeção, de associação unimodal e de associação supramodal. Sendo que o córtex de projeção assemelha-se com as áreas primárias definidas por Luria, o unimodal corresponderia as áreas secundárias assim como o córtex supramodal assemelha-se com o descrito para áreas terciárias.
A percepção do meio externo decorre da codificação de estímulos em interlocução com a percepção do meio,  com processos motivacionais e necessidades do organismo.

Área de projeção motora
Comanda motricidade de todo o corpo na presença de somatotopia, representação contralateral diferenciada.
Lesões: paralisia muscular contralateral.

Área de  projeção sensorial
Recebe informações sensoriais da face e da metade contralateral do corpo.
Lesões: dificuldade em localizar estimulações táteis, grafestesia e esteregnosia.

Área de projeção auditiva
Recebe informações sonoras originadas do ouvido interno.
Lesões: dificilmente causam surdez cortical porque para tal seria necessária perda concomitante dos córtices auditivos dos dois hemisférios.

Área de projeção visual
Recebe informações visuais contralaterais.
Lesões: perda da visão nos pontos correspondentes do campo visual.

Áreas de associação unimodais
Circundam e se comunicam com as áreas de projeção.
Lesões: agnosias, déficits percentuais, apraxia.

Visual
Dorsal – o “onde” da informação visual, detecção de movimento é localização de objetos.
Ventral – a decodificação do “o quê” da informação, detecção de cor e forma.
Lesões: agnosia visual.

Auditiva
Podem tomar a direção anterior ou ventral.
Lesões: agnosia auditiva, inabilidade de identificação de timbres ou sequência de sons.

Somatossensorial
Localização tátil precisa,  memórias somatossensoriais, coordenação  manual ativa e coordenação do alcançar e pegar objetos.
Lesão: agnosia tátil, apraxia tátil e déficit na orientação espacial por meio do tato.

Motor
Região que projeta fibras e recebe informações de áreas secundárias. Planejamento motor, seleção de movimentos, execução de respostas motoras.
Lesões: distúrbios motores, aprazias sem fraqueza ou paralisia.

Áreas supramodais

Integra informações sensoriais relacionadas com as funções cognitivas (inteligência, linguagem, atenção). Onde ocorre a elaboração de estratégias comportamentais e o monitoramento de sua execução.

Temporoparietal
Integra informações sensoriais processadas no cérebro e relativas a linguagem. Praxia, linguagem, integração e planejamento visuomotor e atenção espacial. Há assimetria da função: lado direito (envolvido no processo atencional) e lado esquerdo (envolvido com linguagem).
Lesões: lado direito (síndrome de negligência), lado esquerdo (afasia e agnosia). Síndrome de Gerstmann (confusão direita/esquerda), agnosia dos dedos, disgrafia, discalculia.

Parietal
Há neurônios espelho, na área pré-motora, disparando impulsos quando o indivíduo executa uma ação e quando a mesma é apenas observada em outros sujeitos.
Área importante na compreensão dos atos motores e da intenção que os motiva (base da Teoria da Mente: capacidade de identificar pensamentos e intenções nos outros).
Disfunção: autismo

Pré-Frontal
Coordena a associação de áreas sensoriais e límbicas. Processamento emocional e motivacional importantes na regulação do comportamento. Cooperam memória operacional, atenção, comportamento e motivação.
Lesão dorsolateral: deficiência no planejamentos execução de ações, déficit de memória operacional.
Lesão lateral: dificuldade de sustentação da atenção, perda de iniciativa é da capacidade de tomar decisões. Perda da fluência verbal. Presença de apatia e depressão.
Lesão orbitofrontal: impulsividade, distração, hiperatividade, desinibição e perseveração.

Áreas límbicas
Relacionas com emoção, aprendizagem, memória e controle visceral.

-Ínsula
Processa informações viscerosceptivas, sensações intestinais, respiratórias e cardiovasculares. Estimulação sexual, cócegas, sensações térmicas. Percepção da dor e seus componentes emocionais. Relacionadas com mecanismos de incentivo ao consumo compulsivo e impulsivo.
-Pólo temporal
Recebe informações olfatórias, gustativas, relacionadas a visão e a audição. Participa do processamento emocional nas interações sociais.
- Giro do cíngulo
Implicado no processamento da dor, da atenção, seleção de ações motoras relacionadas com motivação.
Lesões: apatia, mutismo, mudança de personalidade. Relacionada com Alzheimer, esquizofrenia, depressão, transtorno obsessivo compulsivo. Na região hipocampo ocorre a neurogênese.
-Hipocampo
Lesão: amnésia anterógrada.
- Amígdala
Regulação de comportamento agressivo, recompensa é motivação. Processos cognitivos como atenção, percepcao e memória.
Lesões: dissociação entre processos sensoriais e emocionais. Síndrome de Kluver e  Bucy (comprometimento da capacidade de reconhecer faces ameaçadoras, não confiáveis e daqueles que expressam medo. Interferências em processos intencionais.

Por fim, assim compreende-se que diferentes regiões do sistema nervoso central contribuem para a coordenação do comportamento e cognição. No cérebro estão os principais grupamentos e circuitos envolvidos neste processo.

Fonte: Consenza, Ramon. M. Neuroanatomia Funcional Básica para Neuropsicólogo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dificuldades encontradas pelo professor em sua prática docente

Fundamentos da Psicologia Analítica: Primeira Conferência