Estar não é Ser



Foi-se o tempo em que a ação que me ligava a minha profissão, escolhida puerilmente, se dava no âmbito da existência. O verbo que me ligava ao meu ofício comprometia meu ser. De fato, há tempos atrás afirmava:

sou professora

Tempo presente de um passado que jamais compremeteu o futuro. E, no futuro, que faz presente o verbo que me conduz ao ofício de marca efêmera do que se quer como transitório.

estou professora

Descrente das relações formais de ensinança, transvisto-me professora. Sigo transitoriamente e incrédula neste território.

serei no que estarei...

O que me liga, faz-me ser e estar, hoje, sem o desejo do mesmo para amanhã. Alma e ofício, serei meu dom afirmando eu ascendente as imposições da vida.

                                                                                                                           
                                                                                                                      #14/julho/2012#  

                        



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dificuldades encontradas pelo professor em sua prática docente

Fundamentos da Psicologia Analítica: Primeira Conferência